CÂMERAS CATEGORIAS DICAS FILMAGEM PRODUÇÃO

USAR OU NÃO UM GIMBAL

25 de fevereiro de 2019

author:

USAR OU NÃO UM GIMBAL

á pensou no quanto um movimento de câmera é importante para você? Na verdade a pergunta aqui é outra: quão importante é um movimento de câmera bem feito para você? Um bom começo para pensar neste assunto ou sobre utilizar ou não um gimbal é entender o estilo da sua produção. Você está fazendo vídeos para um canal no YouTube? Precisa de uma linguagem mais cinematográfica? Está buscando uma linguagem mais corporativa para o seu cliente, ou arriscando mais?

Ao criar conteúdo com caráter mais cinematográfico, você deverá perceber que o vídeo tem uma linguagem própria. Afinal de contas, o vídeo e o cinema digital são os únicos meios que realmente capturam o movimento. Como você move sua câmera e por que você a move é um assunto que todo videomaker deveria se questionar.

Se você ainda não tem um ou está pensando em experimentar o seu primeiro gimbal, além das considerações sobre qual gimbal comprar, você pode querer considerar por que você acha que deseja comprar um gimbal. Esta é a ferramenta certa para mover sua câmera? Mais importante, por que você quer mover sua câmera? O movimento da câmera o ajudará a contar sua história de maneira mais eficaz? Que tal um Steadycam, um Dolly ou Slider? É importante testar alguns desses métodos antes de decidir que o gimbal é a ferramenta correta para sua produção.

Prós

  • Gimbals são mais fáceis de usar do que um dispositivo Steadicam;
  • Gimbals são menores e mais leves que outros equipamentos como sliders, dollies ou jibs;
  • Gimbals são populares, o que significa que existem muitos modelos e recursos para escolher;
  • Gimbals são mais econômicos, seu valor tem baixado por conta de sua popularidade;
  • Gimbals são flexíveis, permitindo gravar com bastante facilidade.

Contras

  • Gimbals tendem a ter movimento mais robótico e mecânico do que outros dispositivos;
  • Usuários de Gimbal tendem a ficar preguiçosos e usar o equipamento como um modo de filmagem para todos os propósitos porque é muito fácil de implantar, o que leva à temida estética da “câmera em constante movimento”;
  • Mudar do modo normal para o modo invertido pode ser desafiador e muitos modelos não funcionam tão bem no modo invertido.
  • Gimbals podem ser desafiadores para equilíbrio mais rápido;
  • Gimbals exigem outro conjunto de baterias, além de cabos e acessórios adicionais.

Escolha a hora certa para usar o Gimbal

É preciso pensar bastante na estética antes de decidir entre usar ou não um Gimbal. Em uma narrativa visual, a câmera não deve se mover excessivamente, a menos que haja uma razão na história, nos personagens ou no tema do vídeo, para que a câmera precise se mover.

Por exemplo: se você estiver filmando um programa de culinária caseira e a cena abrir com a câmera parada na porta da frente de um chef, batemos na porta e a resposta do chef à câmera: “Entre, deixa eu te mostrar a cozinha!”. Neste caso, a cena foi definida para a câmera se mover e seguir o chef.

Entretanto, e se nós estivéssemos filmando a mesma cena como uma história narrativa, ao invés de um programa como este? E se passássemos de um ponto de vista em primeira pessoa na história para um ponto de vista observacional em terceira pessoa da cena? Poderíamos, então, abrir uma foto estática, ampla ou média, da mesma pessoa em pé na porta, cortando para um médio ou um tiro do chefs enquanto eles atendem a porta, depois cortando para o inverso da pessoa que bateu na porta. Uma vez que o chef convida a outra pessoa, podemos cortar para dentro da casa. Assim que vemos a pessoa e o chef entrarem na casa, podemos mudar para uma captura por meio de um dolly, slider ou Steadicam seguindo as duas pessoas em direção à cozinha.

O ponto aqui é: compreender a sua narrativa vai fazer você entender qual equipamento utilizar em cada momento. Muitas vezes, como no caso acima, o uso de um gimbal pode acabar sendo supérfluo, ou mesmo desnecessário.

No fim das contas, é você quem vai decidir se o Gimbal é o que você precisa para a sua produção. Tome cuidado aos detalhes, monte um storyboard funcional que o ajude a entender a gravação do seu projeto. Tudo se resume na pergunta: “por que estou trabalhando com movimento agora?”. Caso haja uma boa motivação na história para esse movimento tudo bem. Contudo, se você não puder responder essa pergunta com sinceridade, você provavelmente não deveria estar usando um gimbal.

Ou seja, quando faz todo o sentido mover sua câmera, compre um dispositivo tipo Steadicam ou Steadicam. Depois disso, ensaie e pratique para refinar seus movimentos. Isso pode fazer toda a diferença.

Para mim e para muitos outros, a câmera sem motivação, em constante movimento, é provavelmente um dos erros de câmera mais notórios que você pode fazer. Então use um gimbal para adicionar impacto, e não entorpecer seus sentidos.

Dan Brockket, editor do site HD Video Pro

E aí, gostou? Esta dica de Dan Brockett para o site HD Video Pro vem de encontro a uma máxima que sempre falamos aqui no blog. É importante que você conheça todas estas técnicas, tanto de gravação, quanto de edição e, ao mesmo tempo, entenda seu projeto a ponto de saber quando utilizá-las da melhor maneira.

Espero que tenham gostado. Não se esqueçam de seguir o canal da OZI no YouTube para receber muito mais dicas e conteúdos interessantes como este. Até a próxima, pessoal!

Deixe o seu comentário