CATEGORIAS DICAS EDIÇÃO PRODUÇÃO

COMO REDUZIR O RUÍDO DE IMAGEM

22 de agosto de 2018

author:

COMO REDUZIR O RUÍDO DE IMAGEM

Fala galera, tudo bem?
Volta e meia quando estamos trabalhando no tratamento de cor em algum projeto, recebemos imagens que possuem bastante ruído. Isso pode acontecer por diversos motivos: a) ou porque as imagens são filmadas em condições de baixa luz; ou b) porque são filmadas por câmeras que não suportam taxas de ISO muito altas.

É aí que acabamos recorrendo aos redutores de ruído de imagem. Os mais conhecidos são estes abaixo:

  • Neat Vídeo
  • DaVinci Resolve Studio

No IZO #014, o professor Lucas Gesser fala sobre esses redutores de ruído de imagem e como você pode aplicar cada um deles às suas produções. Dá uma olhada no vídeo abaixo:

 

Mesmo estes sendo os dois redutores mais eficientes do mercado, é necessário prestar atenção em algumas técnicas na hora de utilizá-los. Aplicar redução de ruido não significa somente apertar um botão para que a imagem esteja limpa. Existe um pensamento técnico para aplicar esses plugins e efeitos e alcançar bons resultados no seu tratamento de cor.

Quando aplicar o redutor de ruído na imagem?

O método mais comum é aplicar a redução no final do processo de colorização, ou seja, depois de todo o tratamento de cor já estiver pronto. Essa prática é adotada porque os redutores de ruído costumam tomar bastante processamento das máquinas. E, claro, você não quer atrapalhar o processo de correção de cor, enquanto seu processador poderia estar sendo utilizado para playback de vídeo, ou para outros processos, por exemplo.

Entretanto, caso você tenha uma máquina mais potente ou esteja tratando cor de um projeto que não vai exigir tanto da sua máquina, tente aplicar a redução de ruído ANTES de fazer o tratamento de cor.

Dessa forma, na hora de fazer o tratamento final, você vai trabalhar com uma imagem mais limpa e facilitar processos como trabalhar com cores isoladas, por exemplo. Caso determinada matiz tenha muito ruído, pode acabar sendo difícil do software identificar a cor.

Atenção: faça isso apenas se não for atrapalhar o processamento na hora de fazer o tratamento, para não tornar o processo contraprodutivo.

Tipos de redução de ruído

Ao aplicar o redutor, o software vai te oferecer as opções Spatial e Temporal. Essas são as duas formas do software analisar o seu material para identificar os ruídos.

Quando é feita uma análise do tipo Spatial, o software está na verdade analisando regiões de pixels. Neste processo, ele seleciona um pixel específico na região indicada e analisa os pixels em volta daquela região. É esta análise dos pixels vizinhos que vai definir o que é ou não ruído para fazer a limpeza.

A análise do tipo Temporal vai fazer essa análise olhando para frames vizinhos de cada pixel (no caso do Neat Video, é possível programar a análise de até 5 frames para frente ou para trás). É dessa forma que ele define os ruídos para aplicar a limpeza.

Este método costuma ser mais eficiente, perdendo menos resolução e deixando o resultado menos “plastificado”, efeito colateral da aplicação excessiva. Um dos problemas é que ele demora muito para ser aplicado, aumentando o tempo total do processo na sua timeline.


A dica é, portanto, priorizar a correção do tipo Temporal. Mas caso você tenha menos tempo, use a Spatial que, embora gere maior perda de resolução, é mais fácil e mais rápida de ser aplicada.

Por hoje é só. E aí, curtiu? Segue a gente no YouTube! Tem muito mais dicas como essa por lá. Até a próxima!

Deixe o seu comentário