CATEGORIAS NOTÍCIAS

A CINEASTA: OBRAS AUDIOVISUAIS DIRIGIDAS POR MULHERES

1 de agosto de 2018

author:

A CINEASTA: OBRAS AUDIOVISUAIS DIRIGIDAS POR MULHERES

O aplicativo A cineastA pretende ser uma grande base de dados que vai reunir obras audiovisuais brasileiras dirigidas por mulheres.

Financiado pelo MinC (Ministério da Cultura), o projeto tem como objetivo principal incentivar e facilitar o acesso do público à produções feitas por mulheres cis e trans. Ou seja, aumentar a representatividade desses grupos na produção audiovisual brasileira.

Realizado de forma colaborativa, o app permite cadastrar obras*, gerando uma plataforma com produções de todos os lugares do país. A direção de vídeos por mulheres apresenta números baixos em relação ao de homens na profissão.

Só para ilustrar, você pode ver abaixo neste gráfico: a participação masculina em alguns casos chega a 84% (animação e ficção). Enquanto isso, as mulheres alcançam uma fatia de 19% de atuação, no caso do gênero de documentários.

app A CineastA pretende reunir obras audiovisuais dirigidas por mulheres

Mais de 600 obras dirigidas por mulheres já foram cadastradas no site, entre curta, média e longa metragens. Em entrevista ao site Meninas do Ada, a criadora Ana Heloísa Pessotto disse:

“Eu conhecia mulheres que dirigiam no audiovisual, eu sabia que elas estavam no mercado. Eu sabia que elas estavam nas universidades se preparando para isso. Sabia que elas estavam também nas produtoras, então por que elas não estavam nessa função específica?”

Produções dirigidas por mulheres ganham vez nos debates

Decerto um assunto constantemente debatido neste ano, a representatividade começa a mostrar alternativas para a diversidade no mercado audiovisual. Projetos como A CineastA, tendem a incluir e relacionar profissionais mulheres tanto para o grande público quanto para outros produtores, representantes e pessoas que trabalham no mercado audiovisual em geral.


E você, o achou dessa proposta? Deixe um comentário com a sua opinião e não se esqueça de acompanhar o canal da OZI no YouTube.

Até mais!

*O período de cadastro para obras audiovisuais expirou no final de maio, agora só nos resta esperar para o lançamento do aplicativo. =)

Deixe o seu comentário